Histórico

A história do Morro de São Paulo é muito antiga e estreitamente interligada com a história do Brasil. Acredita-se que em 1531 Martim Afonso de Souza visita a ilha e a batiza com o nome de Tynharéa. Devido à sua localização geográfica privilegiada, foi cenário de inúmeros ataques de esquadras francesas e holandesas.

Sob a jurisdição da capitania de São Jorge dos Ilhéus, Jorge de Figueiredo Correa recebeu a propriedade de D.João III, e designou Francisco Romero para a colonização das terras. Os constantes ataques dos índios aymorés e tupiniquis à população continental da região favoreceram a rápida povoação das ilhas, e em 1535 nascia no norte da ilha a vila Morro de São Paulo. Anos mais tarde, de acordo com registros, Morro de São Paulo abrigava uma guarnição com 51 peças de artilharia, 183 homens e uma muralha de quase mil metros de extensão. Em 1730, a Fortaleza foi ampliada por D. Vasco Fernades César de Menezes, conhecido como Conde de Sabugosa, com o objetivo de tornar a ilha posto fiscal e militar. No início do século 17, o capitão Lucas Saraiva da Fonseca fixou residência em Morro de São Paulo e ao lado ergueu uma capela, pedindo proteção a Nossa Senhora da Luz.

Apenas em 1746 foi construída a Fonte Grande para fornecer água à população.

Quatro séculos depois da colonização lusitana, Morro de São Paulo começa a dar os primeiros indícios de que estava nascendo uma nova era. A era do turismo. 

Em 1992, por decreto, as ilhas de Tinharé e Boipeba foram declaradas zona protegida "Ambiental".

Região

O Morro de São Paulo está localizado no extremo nordeste da Bahia no município de Cairu, a ilha faz parte do arquipélago de Tinharé, junto com outras 23 pequenas ilhas, localizado a cerca de 60 quilômetros a sul de Salvador.

As ilhas são separadas por grandes canais de manguezais, que muitas vezes são acessados ​​com dificuldade. A área mais acessível do arquipélago é precisamente a costa leste, onde o Village de Morro de São Paulo está localizada e, apesar de ser a água mais profunda, há praias de natação protegidas por corais. As aldeias do arquipélago se erguem ao longo do mar e dependem das atividades relacionadas à pesca e ao turismo. As  principais ilhas do arquipélago de  Tinharé são, Morro de São Paulo, Gamboa, Galeão, Garapuá e Canavieiras; na ilha de Boipeba estão Velha Boipeba, Moreré, Monte Alegre e São Sebastião; finalmente, na ilha de Cairu é o município de Cairu (sede da prefeitura) e Torrinhas.

Uma das características do Morro de São Paulo, que o torna um destino fascinante e único, é a ausência de estradas pavimentadas: os movimentos ocorrem a pé ou a cavalo, o transporte de mercadorias é realizado principalmente por barco ou trator ao longo da praia. A maioria das ilhas do arquipélago foram originalmente cobertas pela Mata Atlântica (floresta), atualmente, embora ainda haja grandes áreas com floresta virgem, grande parte do território é ocupada por vastas plantações de coqueiros.

Desde 1992, as ilhas de Tinharé e Boipeba fazem parte de uma Área Protegida Ambiental: é, portanto, importante uma atitude responsável pela população, empresários locais e os próprios turistas para preservar e proteger uma área naturalista tão preciosa e delicada.